Pesquisar
Siga-nos no Twitter Curta nossa página no Facebook

Avaliação: Peugeot 208 GT entrega performance e beleza

Por ruas e estradas…

peugeot-208-gt-avaliacao-na-59

Na pista do circuito Virgílio Távora em Fortaleza pudemos experimentar o 208 GT quase em seu limite, mas no dia a dia, a coisa é diferente. Com 166/173 cv a 6.000 rpm (gasolina/etanol) e 24,5 kgfm começando em 1.400 rpm (qualquer combustível), o 208 já andaria muito, mas a Peugeot fez uma preparação para este GT.

Dotado de câmbio curto com seis marchas, não muito justas na alavanca, o esportivo pede para ser acelerado em tempo integral. Há indicação de mudança de marcha, mas não tente acompanhar.

peugeot-208-gt-avaliacao-na-53

O 1.6 THP não aceita bem manter um giro baixo durante a condução. Nas reduzidas para transpor uma lombada ou no trânsito pesado, a primeira tem de estar à mão, pois ele sofre na marcha acima. O giro abaixo de 1.500 rpm denuncia o lag, mas acima disso a coisa melhora, realmente empolgando acima de 3.000 rpm.

É fácil sair rápido e ver que o controle de tração simplesmente parece decorativo, chamando assim a atenção de quem está do lado de fora. Dá para ir muito além de 6.000 rpm e nada de corte. Nesse ponto, o Peugeot 208 GT já deixou muita gente para trás.

Por você…

Sem o Punto T-Jet, o Peugeot 208 GT tem como concorrentes mais próximos os Fiat 500 Abarth – por congelados R$ 94.000 – e o DS3 – saindo a partir de R$ 92.900 – pois o Renault Sandero RS 2.0 custa praticamente R$ 20.000 a menos. Por não ser tão pequeno e oferecer mais conforto, além de um pacote mais generoso, o francês se torna uma opção mais interessante.

Piloto automático, faróis de neblina com função curva, sensores de chuva e crepuscular, trio elétrico, assistente de partida em rampa, controle de estabilidade, repetidores de direção nos retrovisores, iluminação vermelha da multimídia, banco e coluna de direção ajustáveis e seis airbags são outros itens oferecidos de série.

Para quem procura um hatch compacto com pegada esportiva e sem chamar muita atenção, já que não há um pacote aerodinâmico associado mais agressivo, o Peugeot 208 GT se encaixa bem na escolha, ainda mais em um segmento que perdeu um membro bem conhecido e ganhou uma proposta caseira de baixo custo, essa nova alternativa feita em Porto Real surge em boa hora.

Medidas e números…

Ficha Técnica do Peugeot 208 GT 1.6 THP:

Motor/transmissão
Número de cilindros – quatro cilindros, turbo, Flex
Cilindrada – 1.598 cm³
Potência – 166/173 cv a 6.000 rpm (gasolina/etanol)
Torque – 24,5 kgfm a partir de 1.400 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão – Manual com seis marchas

Desempenho
Aceleração de 0 a 100 km/h – 7,6 segundos
Velocidade máxima – 222 km/h
Rotação a 110 km/h – 2.500 rpm
Consumo urbano – 8,5 km/litro (etanol)
Consumo rodoviário – 10,1 km/litro (etanol)

Suspensão/Direção
Dianteira – McPherson/Traseira – Eixo de torção
Elétrica

Freios
Discos ventilados dianteiros e sólidos traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus
Liga leve aro 17 com pneus 205/45 R17

Dimensões/Pesos/Capacidades
Comprimento – 3.975 mm
Largura – 1.702 mm (sem retrovisores)
Altura – 1.472 mm
Entre eixos – 2.541 mm
Peso em ordem de marcha – 1.196 kg
Tanque – 55 litros
Porta-malas – 285 litros
Preço: R$ 80.590

Voltar